quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Akira

A mãe do meu namorado incumbiu-nos (a mim e à irmã mais nova dele) de arranjarmos um cachorrinho HUSKY lá para casa. E assim foi, na sexta-feira às 21h começamos a tratar de tudo e no sábado à tarde já a tínhamos connosco. Tudo um belo estratagema para enganar o moço, coitado, que todos os dias pede um cãozinho, tal e qual os meninos de 5 aninhos, fazendo olhinhos de carneiro e tudo. E conseguiu. Apresento-vos a AKIRA :)


Esta menina veio diretamente de Valongo, com apenas um mês e meio. É super fofinha, meiguinha e aprende rápido rápido. Escusado será dizer, tem feito as delícias lá de casa :) . E o Manuel não podia estar mais babado do que o que está, adorou a prenda de Natal antecipada, claro! 


Aqui está, o momento em que entregámos a cadelinha. E finalmente, a família já todo reunida, com o regresso do Nuninho. Não podíamos estar melhor :)
Agora é esperar até podermos começar a passeá-la por Braga fora. Já não deve faltar muito, uma vez que ela tem crescido a olhos vistos em apenas alguns dias!! É impressionante! E é super inteligente esta menina. Ficamos todos completamente derretidos por esta quatro patas :)

sábado, 7 de dezembro de 2013

Under the tree * 1

Que é como quem diz : coisas que eu não me importava nada de ter ali no pinheirinho

Andava eu a percorrer meia internet à procura de algo que me enchesse as medidas para a passagem de ano (e que fosse minimamente em conta, dado que dezembro já é, por normal, um mês bastante dispendioso, e eu ainda tenho o meu aniversário logo logo depois) e encontrei esta saia:
Stradivarius - 22,95€

Adorei-a mal a vi. É muito difícil para mim admitir que gosto de algo. Acho sempre que as pessoas vão pensar "Porra. Ela gosta disto? Ei mas que raio de gosto estranho". Mas pronto, gostei da saia e é isso! Claro que fui logo experimentá-la mal tive oportunidade e adorei. É diferente o suficiente para uma passagem de ano, passa despercebida (isto porque este ano vejo montes de lantejoulas e transparências desadequadas e penas e plumas e uma mixórdia de outras coisas) e dá perfeitamente para usar muitas outras vezes, em muitas outras ocasiões.
Escusado será dizer que o namorado não gostou. E então lá tive de a deixar na loja. Mas ainda não encontrei AQUELA peça que a vá substituir no meu pensamento. Ajuda é necessária :)

Beijinhos, xX.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Quem é vivo, sempre aparece.

E eis que volto a este meu canto da blogosfera. Já passaram meses e meses desde que cá estive. Umas vezes por falta de vontade, outras por falta de tema, fui deixando de lado este cantinho. O tempo tem sido escasso. Entre trabalhos, testes, vida social e mil e uma coisas a acontecerem ao mesmo tempo, alguns hábitos foram ficando para trás. Hoje tenho em mãos uma reportagem, para entregar na próxima 3ª feira, e, assim como assim, está para lá de atrasada. Eu sei que quando a primeira frase chegar, todo o restante texto rolará página abaixo. Mas está difícil sair essa primeira frase, ter a certeza de que é isso que queremos escrever, e exatamente daquela forma. Na passada quarta-feira (típica noite académica aqui pelo Minho), tive Jantar de Natal de Ciências da Comunicação. Tudo correu super bem, toda a gente super animada, karaoke non stop e todos com sorrisos na cara. Foi uma boa noite. Com bons colegas e um bom ambiente.

(aqui estou eu - à direita - com a minha amiga Carmo)

Aqui anda tudo um pouco em "águas de bacalhau", ou seja, nem ata nem desata. Há teste na quarta-feira e ainda não me consegui concentrar nos estudos. Há a reportagem para entregar. Mais um trabalho de Análise de Imagens Publicitárias. Mais um trabalho de Relações Públicas e Publicidade. Mais um trabalho sobre a minha muito estimada freguesia. Enfim enfim... O cabo dos trabalhos é o que é! E amanhã  lá vou eu toda pimpona para outro jantar. Desta vez de família - bem, da família do meu namorado, mas vou como "apêndice". Temos uma pequena surpresa preparada para os familiares que vão estar presentes, um vídeo feito com muita dedicação por nós (eu, namorado, irmãs e mãe) e por um primo. Vamos ver se é do agrado de toda a gente, pelo menos foi feito com muito carinho.
E bem, assim num pulinho 2013 já está a dar os últimos passos e 2014 já nos espreita, com um sorriso de esperança, mas com a certeza de que se aproxima um ano complicado e de contínua luta (falo aqui do povo português, pois claro). O Natal está mesmo mesmo à porta, e o meu aniversário ali ao ao virar da esquina - ou do ano, vá.
Tanta festa, tanta festa e tanto trabalho, tanto trabalho.

Beijinhos, xx.

terça-feira, 16 de julho de 2013

sexta-feira, 14 de junho de 2013


Hoje tivemos um teste importante. Estava toda a gente nervosa, uns com altas expetativas e outros a achar que a única salvação será o recurso, daqui a umas semanas. Eu e a minha amiga e companheira de todos os dias temos uma regra, nunca falar dos testes quando saímos deles, para não nos confundirmos e não stressarmos, o resultado logo chegará e depois então podemos falar sobre isso.
No entanto, mesmo sem querer, é quase inevitável ouvir outros colegas de turma falar sobre o que escreveram, quantas páginas ocuparam, mimimimi. Mas hoje ouvimos o cúmulo da amizade ... sério! 
Uma colega perguntava a outra "que puseste na pergunta X?" , e ela lá lhe fez a descrição de toda a sua muito bem estruturada resposta, com um sorriso de orelha a orelha (naturalmente orgulhosa da sua prestação, o que é bom, claro). E diz a primeira (super triste) "Oh não! Não pus metade dessas coisas. Fogo!" e a amiga o que responde? "Oh, está bem. Eu estou super contente! Acho mesmo que vou ter um 18, pelo menos!!!". 
Tipo : Boa! Sempre a animar os amigos.

Não tenho nada contra a moça, como é claro.
Aliás, nem a conheço bem e raramente falo com ela.
Mas, convenhamos, era desnecessário. Não sei. Digo eu!

Esta vida de estudante (...)


É só isto.

Depois de uma semana deste calibre - aliás, de um semestre puxadão - espero é que S.Pedro não me troque as voltas e venha com a chuvinha inconveniente e me fuja com o sol! Senão acho que o pessoal de CC lhe declara guerra :) .

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Pode repetir?


Ontem, no veterinário, descobri que a minha cadela pequenina tem alergia à saliva das pulgas!! E eu "ao quê doutor???" ... É verdade, saliva das pulgas :) sou tão ignorante...!

Esta semana está a ser qualquer coisa. Exame oral na 5ª. Teste na 6ª. Pai no Hospital na 2ª (e a ficar ali pelo menos uma semana). Cadela mais nova com uma otite do piorio, e eu a vê-la ali anestesiada na maca do veterinário - coitadinho do meu bichinho. O que resulta em dois dias de estudo ZERO! Boa Ritinha ;-)

sábado, 1 de junho de 2013

Da vida ...


Quando eu nasci, o meu irmão mais velho já tinha 15 anos. Vim "fora do tempo", dizem eles na brincadeira (o outro meu irmão tinha 9). Sempre me dei melhor com o mais velho, pois era ele que era "obrigado" a tomar conta da irmãzinha enquanto o mais pequeno ia brincar e jogar à bola. Ele é que ficava responsável por mim enquanto a minha mãe ia trabalhar. Quando cresci e entrei no infantário, era ele que me acordava, me vestia e me levava até à sala. Foi ele que me ensinou a fazer o rabo-de-cavalo e as tranças. Tratava de mim quando ficava doente e estava sempre pronto a defender-me das partidas do irmão do meio.

Ao longo do meu crescimento, era a ele que recorria sempre para contar o que se ia passando, para pedir opiniões e conselhos. Sempre me apoiei nele e sempre o vi como um exemplo (embora sejamos bastante diferentes em termos de personalidade).

Quando eu tinha 15 anos, o meu irmão ficou seriamente doente. Passou um mês internado no Hospital, que mais pareceu um ano inteiro. Deixou-nos a todos com o coração nas mãos. Esteve nos cuidados intensivos, nos cuidados intermédios... Um aperto daqueles! Foi a altura em que mais pensei em como seria não ter o meu irmão ali ao meu lado. Não o poder ver todos os dias.

Eu acho que quem tem irmãos, por muito que se zanguem e que se fartem uns dos outros, não estão preparados para os "perder", para ficar longe deles. Eu falo por mim, nunca pensei que teria de viver a milhares de quilómetros dos meus irmãos. Ok, seria normal eles casarem, saírem de casa, terem filhos, a sua própria família e vida, mas nada nos prepara para ter os nossos irmãos do outro lado do mundo.

Infelizmente, agora sei o que isso é. O meu irmão saiu de Portugal. Vai viver na Austrália pelos próximos 3 meses, pelo menos. Depois talvez pelos próximos anos. Talvez forme lá família. Talvez só cá volte a visitar-nos de 2 em 2 anos ou mais. Portugal realmente não está para os jovens, Portugal não está para ninguém. E desejo toda a sorte do mundo ao meu mano, mas ainda assim, custa não tê-lo cá. 

 Esta é a sua nova residência. A cidade de Melbourne. E este é mais do que um post sobre o meu irmão ter emigrado. É uma espécie de "homenagem" ao excelente irmão que sempre foi :) .

Esta vida de estudante (...)


Quem está na Universidade certamente me entende... Estas últimas semanas são exaustivas! Milhentos trabalhos, apresentações, testes, etc etc etc. Ufa! Só de pensar no que ainda sobra fazer (isto já com muito feito também) dá-me vontade de voltar para a ilha!

Boa sorte a todos nesta fase decisiva da vida académica, e também a quem está a acabar o 12º ano, que este mês é um mesito importante, cheio de escolhas e provas. E boa sorte a mim também, que com este solinho o que menos tenho é vontade de estar a estudar e ler textos que nunca mais acabam...

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Quando uma pessoa começa a ser ... ridícula! (e isto sou eu a ser simpática)

Este post será pequenino, sem grande informação portanto. É só algo que gostava de convosco partilhar. Trago-vos hoje uma pessoa que, no geral, toda a gente gosta e idolatra. Ora, o mesmo não se passa comigo. Nunca gostei da santa. Acho-a de um mau gosto incrível, e tudo que é demais é exagero, e ela está a tornar-se ridícula (claro que isto é SÓ a minha opinião, não pretendo desrespeitar os seus fãs).
Sem mais demoras, falo-vos da "Rainha do POP", a Madonna e apresento-vos o look por ela escolhido na última gala do MET.




É certo que o tema era inspirado no estilo Punk, e ela até teve algumas críticas positivas, mas, a meu ver, poderia ter escolhido algo mais apropriado para a sua idade... Já teve uma vida toda de sucessos, escândalos e roupas ousadas... Que tal parar um bocadinho antes de se tornar penoso vê-la? É que sinceramente eu já acho ridículo esta tentativa sua de parecer que tem 20 anos, quando na verdade ostenta uma bela idade de 54 anos. Ao menos podia ter tapado ali o rabiosque que a gente não tem de ver isto... Eu pelo menos não gostaria de ver a minha mãe (quem tem a mesma idade da dita) a passear-se em tal modelito. Será que a sua filha, de 17 anos, não se sentirá "incomodada" com as ações e escolhas da sua mãe? Eu sei que eu não gostaria...

 - E vocês? Gostam da Madonna? Gostaram do look dela no MET 2013?

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Tradições - Braga Romana

Nestes últimos dias, cá por Braga, o Enterro da Gata corre na boca das pessoas, seja por estudantes que esperam ansiosos ou por pessoas que dizem que lá vão os "estudantezecos estragar a nossa bela cidade, que só se querem embebedar e fumar umas ...". Bem, seja como for, o que passa, a algumas pessoas, despercebido é a fantástica Braga Romana, que não se pode mesmo perder.
Sempre gostei destas feirinhas com os vestidos de época, as decorações e os espetáculos que nos fazem recuar no tempo e imaginar como teria sido aquela época. E gosto muito de ver as ruas do centro da minha cidade decoradas a preceito, com uma certa magia no ar e toda a gente enfeitiçada por tal ambiente. 
No ano passado participei com a minha turma e outras pessoas da minha Escola Secundária num cortejo de escolas e numa mini-barraquinha onde vendíamos coisas feitas à mão por alunos, professores e funcionários, bem como ervas aromáticas e outras coisinhas. Foi uma experiência bastante gira e conseguiu que eu gostasse ainda mais desta semana, que tantos turistas traz.
Pois é, esta semana devia ser passagem obrigatória para todos os portugueses, pois não se iriam arrepender certamente. Tem tanto para ver, tanto para descobrir, tudo isto com o cenário de fundo de uma das mais belas cidades portuguesas. 

 - Portanto, não percam a Braga Romana 2013, entre os dias 26 e 29 de maio deste ano. Podem contar com animação durante todo o dia (dança, música, teatros, etc etc); barraquinhas muito interessantes e o belo do pão com chouriço, de comer e chorar por mais.








Conto com a vossa visita :)


sexta-feira, 3 de maio de 2013

A praxe (...)

Há imenso tempo que já não escrevo, tenho andado numa verdadeira roda viva. Ele é trabalhos, ele é horários, aulas, praxes, tentar passar algum tempo com quem gostamos... Enfim, não tem dado tempo para "parar e pensar".

Hoje trago um tema algo "polémico": a praxe. Podia ter falado disto mais cedo, mas só agora que acabou posso ter uma opinião mais completa e mais verdadeira também. Decidi falar disto pois é algo que realmente completou a minha experiência no primeiro ano da Universidade. Fui com aquele pensamento "vamos lá ver o que isto é" e acabei por conhecer muita gente da qual sou hoje amiga e de quem gosto muito.
Ora portanto, na próxima terça-feira (dia 7 de maio) serei batizada, junto daqueles que partilham esta experiência comigo há cerca de 9 meses. Pelo caminho muitos desistiram, outros acabaram por ser afastados, e sobramos agora cerca de 37 pessoas (muitos ainda, é verdade).



Muitos foram os dias em que não apetecia ir, em que ficar em casa no quentinho e sossegada teria sido muito melhor, em que podia ter aproveitado aquele tempo para descansar, etc etc. Mas a verdade é que, olhando para trás, todos aqueles dias (e noites também) deixam saudades, fazem pensar "valeu a pena ir!", e desejamos que não acabasse já. Estamos a uma semana do Enterro da Gata (correspondente à Queima das Fitas de Coimbra e Porto e etc) e as saudades já apertam. Aqueles a quem chamámos "doutores" foram mais do que isso, foram amigos, foram uma família, um ombro amigo, alguém que tratou de nós. Custa ter de escolher um padrinho ou uma madrinha, dado que gostamos tanto de todos (ou da maioria), mas temos a certeza que mesmo que escolhamos o padrinho/madrinha A ou B os outros continuarão a ser tão verdadeiros, chegados e amigos como até agora foram.

 Nem todos os praxantes sabem praxar, nem todos sabem o que é suposto fazerem e nem todos reconhecem limites. Aí sou da opinião que deixa de ser praxe e perde todo o seu sentido, o seu propósito. No entanto, nem tudo na praxe está certo ou é justo. Mas os maus momentos são esquecidos quando olhamos para trás e pensamos naquele longo caminho que percorremos, que nos tornou tão próximos de algumas pessoas, que nos faz verter lágrimas só de pensar que acabou. Daqui por duas semanas, mais exatamente na quarta-feira dia 16, deixamos de ser caloiros. Ao passar na varanda do Museu Nogueira da Silva, recebemos a bênção do mui nobre reitor da Academia e deixamos oficialmente um ano de caloiros, um ano de praxe, um ano de descobertas para trás. E embora o fim seja triste, a verdade é que tudo tem de ter um fim, e no final ficamos para lá de contentes por termos conseguido passar por tudo. Por horas e horas de praxe. Pela praxe 24h ("Das 8h às 8h; é das 8h às 8h que CC é animado; 24h doutores sempre a meu lado (...)"); pelas inúmeras praxes noturnas; pela praxe da lama (como diria um doutor meu "Parecem os 'craquediles' no pantanal"); pela Latada; as várias praxes do Cabido de Cardeais; e, por último mas certamente não menos custosa: a praxe do Julgamento de Curso (a pior das piores, a última das últimas, o teste dos testes). Sobra agora apenas o Batismo, noite que todos aguardamos com muita ansiedade. O momento em que os nossos padrinhos nos batizam na fonte do Largo da Câmara Municipal de Braga, a última praxe.



Depois deste post longo, concluo dizendo apenas que a praxe não é aquele bicho de sete cabeças que algumas pessoas fazem, os doutores/engenheiros/arquitetos não são sequestradores, não são vilões. Nestes últimos dias lembro-me muitas vezes de uma frase que a nossa mui nobre Presidente da Comissão de Praxe nos disse ainda no primeiro mês de praxe "A praxe não é para os doutores. Nós já por aí passamos. A praxe é feita para vocês, caloiros!" e na altura ficamos todos "yeah, right! É mesmo para nós isto...", mas a verdade é que é mesmo. O meu primeiro ano não teria sido o mesmo sem os meus doutores, sem as brincadeiras, os risos, as músicas, os jantares... enfim. Vai deixar saudade :) . E só lhes tenho a agradecer por TUDO. Mas, como disse, sei de muita gente que passou verdadeiras amarguras devido à praxe, porque há muitos praxantes que não o sabem ser e abusam da sua "autoridade".



- Qual é a vossa opinião da praxe? Participaram? Gostaram? Acham desnecessária? :)

xx

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Smells like Spring


Finalmente a chuva começa a dar tréguas. Já se notam alguns raios de sol, ainda que um bocado tímidos, a espreitar por entre as nuvens. Ainda chove um pouquinho, mas nada comparado com as últimas semanas. Já dá para aproveitar o cafézinho da tarde na esplanada com os amigos do costume, em vez de nos metermos dentro do café "enroladinhos" nos casacos.
Embora esta coisa da mudança da hora nos baralhe a todos durante os primeiros dias, devo confessar que adoro chegar às 19h e ainda estar um solinho bom, em vez de quase noite cerrada. Dá vontade de trabalhar, de fazer mais. As aulas terminam e parece que ainda temos uma tarde inteira para fazer o que falta.
Hoje teimei que ia vestir algo mais leve (ainda que com um casaquinho quentinho em cima), apeteceu-me chamar o sol, acolher a Primavera - até para me auto-convencer que a chuva não tardará a ir embora.

Este mês, que ainda agora começou, traz muito trabalhinho. Trabalhos de grupo em atraso, muito estudo para fazer, testes e o aniversário da mãe para festejar (já este sábado). Valem estes dias mais compridos para dar força de vontade, para motivar.
Depois do meu Braguinha perder (infelizmente por culpa própria) contra o Sporting, que venha o bom tempo para nos alegrar :) eheh.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Casamentos&Roupa

Olá :)


Em Junho deste ano tenho um casamento de um primo do meu namorado. Segundo sabemos - e do que conhecemos das pessoas que darão o nó - será uma cerimónia completamente simples. 
Ora a modos que, embora ainda estejamos a começar o mês de Abril (quase quase) e seja MUITO difícil pensar em roupas frescas e vestidos leves, ando a stressar com a escolha do coordenado para a dita festarola. 
Dado que é uma coisa simples não quero ir armada em Rainha de Inglaterra, o que também não é uma imagem que me favoreça, mas também não quero ir com um vestido da Pull&Bear que tanto dava se usasse na praia ahah. O casamento é em Lisboa, portanto tem de ser também uma coisa que possa ser transportada com algum "à vontade" e sem ser preciso grandes cuidados. Juntando a tudo isto, não poderá ser uma coisa cara, claro está, que o meu "ordenado" de estudante não dá para essas mordomias.
Hoje vi um que me agradou, simples mas com "piada", com umas aplicações na zona do peito muito giras. Mas, e há sempre um MAS, custava 115€ ... Poooois , não dá mesmo.
Acho que vou ter de me virar para lojas mais acessíveis um bocado. O meu problema com isso é que Zara ou Mango aparecem aos 500 ... E era um bocado (só um BOCADO) mau alguém levar um vestido igual ao meu.

Posto isto, SUGESTÕES? :D

quinta-feira, 14 de março de 2013

Primavera, chega depressa!

Estes dias frios, com ventos fortes, chuvas e trovoada têm de acabar JÁ! Já não se aguenta com tanta molha, nem apetece sair de casa! Estou ansiosa por vestir roupa mais leve, deixar de andar carregada com casacos e guarda-chuva e uma catrafada de outras coisas. Espero que a Primavera chegue rápido e com toda a sua força, com solinho bom para ir à esplanada e quentinho quanto baste para poder andar mais "levezinha".
Ultimamente tenho andado despistada quanto às novas colecções das lojas. Sei assim por alto, vou vendo, mas ainda não fui aprofundar o conhecimento.
Um dia destes, na Primark, encontrei um vestido que me fez querer o Verão. É raro encontrar na Primark vestidos que goste, embora se vejam alguns pela net, depois chega-se à loja e nem vê-los. Este gostei muito e fiquei cheia de vontade de o trazer (mas infelizmente ando numa de poupar dinheiro para comprar o Traje Académico no próximo mês). O vestido custa 19€, não é caro portanto. O único senão (para mim que tenho imensos complexos de "epah, vou mostrar as pernas" xD) é que é bastante curtinho.


Esta foto está no meu Instagram, que podem visitar aqui : Instagram  

sexta-feira, 8 de março de 2013

(...)

Ando sem tempo e vontade de escrever, quer dizer, talvez queira escrever, mas tenho medo de ser traída pelas palavras, dizer mais do que o que devo, expor mais do que devia ... Enfim. Hoje o post é pequeno, e é só para desabafar algo muito rápido e sem importância absolutamente nenhuma (pois... porque me apetece).
O meu namorado "ganhou" uma viagem. Para a Croácia. A "criatura" parte na próxima 3ª feira, para Dubrovnik, com um monte de pessoas que não conheço de lado algum. E lá vai ele. Uma semana inteirinha. Tudo à borlix que é o que se quer. Sortudo o menino... E eu fico cá. Atolada em trabalhos e aulas e horários estúpidos a cumprir. 
Vá ... Vá e divirta-se filho! Mas ai de si que partilhe milhentas fotos a cada milésimo de segundo, porque nasce-me logo o bichinho da inveja e corro para a Croácia em três tempos!!

Eis a sua morada na próxima semana:





sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A tua cara não me é estranha #1

Não, não vou falar sobre o programa do Goucha e da Cristina, até porque não o vejo (dá à mesma hora que o Manzarra, e mal por mal ... prefiro o mais novo). Outro dia a passear aqui pela senhora Internet, naquele site que falei neste post, descobri umas camisas que me parecia já ter visto em algum lado, depois de ir pesquisar confirmei que sim, efetivamente se não são irmãs, são primas. Falo das camisas com riscas da Zara. Ora vejam:


Estas são as que diferem mais. A gola não é igual, bem como o bolso. O preço na SheInside baixa para 20.81€ se forem fãs da página deles no Facebook, o que dá uma poupança de 9,18€ se optassem por esta em vez da camisa da Zara, dado que na SheInside não se pagam os portes (se escolherem correio normal).


Mais uma vez, o preço na She Inside desce para 20,81€ se forem fãs da página. Estas são muito mais parecidas, e a encomendar, acho que seria mesmo esta.


Neste caso seria onde a poupança era mais visível, mais uma vez, se fossem fãs da página no facebook, a camisa ficaria a 20.81€, o que no total daria uma diferença de 19,14€, uma grande diferença, penso eu.

- Então, acharam-nas parecidas. Arriscariam a comprar as da She Inside? 

My sweet valentine!

Nunca liguei muito ao Dia dos Namorados. Nunca fui daquelas meninas que recebia centenas de cartinhas com corações e peluches carinhosos, mas também nunca me importei (falo de quando tinha entre os 10 e os 13 anos ... simplesmente não ligava, preferia entreter-me com as amigas do que pensar em namorados). Cresci e veio o meu primeiro grande amor, e o Dia dos Namorados ganhou outro sentido, ainda que eu fosse igualmente novinha (tinha 14 anos). 
Não podia estar com ele nesse dia, tínhamos ambos aulas, e não andávamos na mesma escola, e então acabamos por não nos ver. Quando cheguei a casa, esperava-me uma caixinha no correio, muito fofinha, com o meu nome... Abri. Tinha um peluche (que ainda guardo) acompanhado por uma carta, breve, mas fofinha. Ora aqui para a je, com apenas 14 anos, foi o gesto mais romântico e bonito de sempre. Decidi pagar-lhe a surpresa com uma mini-partida, na qual me lembro que ele chorou desalmadamente por achar que era verdade (ups! demasiado convincente I guess). Pedi à minha melhor amiga para ir ter com ele (no fim-de-semana após o Dia dos Namorados) e dizer-lhe que eu não iria, que estava tudo acabado porque a minha mãe não me deixava vê-lo ... Ora, o rapaz derreteu-se em lágrimas, e não consegui continuar com a brincadeira por nem mais um segundo (que eu sou mázinha, mas nem tanto). Ofereci-lhe algo feito por mim, numa aula de Educação Visual, acompanhado igualmente de uma cartinha e uma fotografia minha (egocentrismo ... pois claro).


No meu segundo namorado (tinha eu 15 anos - sim, o outro namoro não durou muito, porque o rapaz teve de ir para a Universidade para fora... ) as coisas foram diferentes, sinceramente não me lembro o que lhe ofereci, ou se lhe cheguei a oferecer algo (shame on me). Lembro-me apenas que ele apareceu aqui em casa a meio da noite, e trazia um porta-chaves em forma de anjo, muito querido e fofinho. Também ainda o guardo (não por ter significado, mas porque são pedaços de uma história pessoal, e porque não guardo ressentimentos para com estas pessoas).


O ano passado foi o Dia dos Namorados mais especial que tive, mais não fosse por o passar com Homem com quem estou há já 2 anos e meio. Fomos passar o fim-de-semana fora, para o Gerês, num sítio "esquecido", no meio da Serra. A poucos quilómetros de uma barragem emblemática, de uma "terra desaparecida" que tanto deu que falar há anos e anos atrás, Vilarinho das Furnas.Foi fantástico, apesar do frio que se fazia sentir. Passeámos, namoramos, fomos até Espanha (um calor muuuiiito bom na praia em Samil), enfim, inesquecível. A repetir (espero eu).


Este ano passou um bocado mais ao lado, dados vários acontecimentos deste último ano, julgo eu... Não pensamos muito nisso e, mesmo assim, gostei. Se tivesse calhado a um fim-de-semana talvez tivesse sido diferentes, desta forma, trocamos presentes (ofereci-lhe uns boxers da Intimissimi, um perfume e uma camisa - em saldo- , ambos da Zara). Ele ofereceu-me um perfume Scarlett, da Cacharel, que eu adoro!! Fomos ao ginásio com a mãe dele, e acabamos por jantar os três no shopping (nada romântico, I know), no final fomos até ao melhor café da cidade (que por acaso é da família da noiva do melhor amigo do meu namorado) e pedimos um chocolate quente, o qual veio acompanhado de morangos com chantilly, oferta da casa. Talvez no fim-de-semana passemos de outra forma, um bocadinho mais romântica, vá. Mas adorei este final de dia!!


- E vocês, como passaram o Dia dos Namorados? Dão muito valor a esta data? :)
xx

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Ajudar não custa assim tanto ...

Hoje trago um post um bocado diferente. Enquanto andava pelo supermercado com a minha mãe, reparei numa marca diferente, que nunca tinha reparado (diga-se que estava bem no fundo da prateleira... por conveniência certamente, dado que as prateleiras de cima eram de marcas mais conhecidas, as do meio - mesmo à mão - era da marca do supermercado em questão, e, em baixo, "escondida" estava esta marca). Esta "nova" marca pertence à AMI (Assistência Médica Internacional), a primeira marca de solidariedade em Portugal.


A marca encontra-se em 52 hipermercados - dos grupos Pingo Doce, Leclerc, Continente e Jumbo -  espalhados por 44 localidades. Esta marca disponibiliza cerca de 30 produtos das mais derivadas áreas: água, arroz, sumos, farinha, óleo, azeite, fruta, legumes e papel higiénico e os lucros obtidos irão reverter para o combate à pobreza levado a cabo pela associação.

O produto que comprei, um pacote de 1kg de farinha, custou 0,66€, o que me parece apropriado, ainda para mais se com a sua compra estivermos a ajudar quem mais precisa.


Podem ver a variedade de produtos disponíveis NESTA página, bem como uma entrevista publicada pelo Correio da Manhã AQUI.
E lembrem-se que hoje é por uns, amanhã poderá ser por nós. Ajudar não custa assim tanto ...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Certezas.


Quando o conheci ainda não sabia. Quando começamos a namorar, esperei que tudo desse certo, mas dado que as relações anteriores tinham corrido "menos bem" não depositei grandes expetativas. Achava que o problema teria de estar em mim, e que mais cedo ou mais tarde ele perceberia isso. Passaram já 2 anos (29 meses para ser mais precisa), houve momentos melhores e momentos piores, claro está, porque ninguém é perfeito e desconheço relações de conto de fadas. 

Ele faz de mim a pessoa mais feliz e especial à face da Terra. Nunca ninguém fez tanto por mim e me ajudou tanto em tudo.Basta um telefonema, uma mensagem e ele está lá, seja onde for, a que horas for. Nunca me falhou. Tenho a certeza que é com ele que quero ficar. Mesmo quando discutimos, quando o "odeio" durante aqueles segundos, sei dentro de mim que ele é a pessoa certa. Ele é mais velho do que eu... Certamente teria outros planos para a vida dele. A esta altura teria idealizado se calhar estar já casado, ou pelo menos a viver com alguém. Mas foi por mim que ele "esperou", será comigo que ele irá morar, que irá ter filhos, que passará a sua vida. Tenho a certeza disso.

Temos planeado viver juntos nos próximos anos. É giro entrar com ele em lojas de decoração e de mobiliário e olharmos para as coisas como se as fossemos comprar para nós; é giro ver como concordamos na grande maioria daquilo que queremos que seja a NOSSA casa. Nunca pensei que iria querer tanto passar a vida com alguém. O casamento dos meus pais não é o mais feliz do mundo e isso sempre me assustou, achava que ninguém conseguia passar a vida inteira com outra pessoa e gostarem um do outro como da primeira vez. Ele fez com que a minha opinião mudasse; aliás, os pais dele fizeram com que a minha opinião mudasse.

Sinto-me feliz. Com esperanças renovadas. Só me apetece correr para o seu lado e deixar o ano triste que passou para trás. Amo-o de coração. E não me imagino mais sem ele. Nem quero!


Foto da minha autoria (e pessoal). Por favor não utilizar :)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013


Finalmente chegou Fevereiro. Ela sorri. Começa o mês desde sempre associado ao amor, e não poderia começar de melhor forma: com ele mesmo ali ao lado, com a sua mão entrelaçada na dela, com um sorriso carregado de ternura e os olhos brilhantes de quem ganhou uma nova esperança, ainda que sempre soubesse que ela por ali andava. Os seus olhares cruzaram-se, suspiraram em uníssono e o silêncio disse tudo que queriam dizer. Amo-te, não me deixes nunca. E selaram a promessa, com o gesto mais puro de um casal apaixonado.

Welcome Back *


Às vezes parece que tudo corre mal. A nossa relação com a pessoa que mais amamos. Os estudos em que nos aplicamos e não correm como esperamos. Não saber como reagir perante situações que nos acontecem. Até o raio do computador se lembrou de tirar férias e ir viajar até à Asus. Enfim (...) Não andei feliz da vida por estes dias ...
Desde o último post, mudei de telemóvel, renovei a decoração da casa-de-banho principal cá de casa, "renovei" os laços ( os "votos" ) com o melhor namorado do mundo e duvidei se sou a pessoa mais burra do meu curso e se não estaria lá a mais (suponho que não ahah...).
Tantas vezes pensei "Tenho de escrever sobre isto no blog" e agora não sei o que escrever, como começar.

Primeiro:

The Impossible. Vi. Gostei. 
Não é um filme fantástico. Não é espetacular, mas, como disse ao namorado, há filmes que são para nos entreter, virados para o amazing, outros que são para nos fazer pensar, para nos recordar que algo aconteceu, que pessoas reais lá estiveram, que há sobreviventes, histórias chocantes, histórias trágicas e histórias mais felizes.
No geral gostei. Embora se note perfeitamente que há partes demasiado encenadas, que em nada corresponderão à verdade (ou em muito pouco), mas claro está, trata-se de um filme 'inspirado em', e não uma cópia exata da realidade.

Segundo:

Estou a planear uma viagem. Mais ou menos. Digamos que eu gosto de pensar bem e saber ao que vou, enquanto que o namorado prefere pensar nas coisas no último minuto. Nunca andei de avião, seria o ano passado a primeira vez (para ir a Londres), mas os planos tiveram de se alterar. Decidimos então rumar a um sítio mais próximo, optei por Madrid. Ora acontece que eu gosto de pensar nas coisinhas. Em que dia vamos. O que vamos visitar. Onde ficaremos alojados. Quanto gastaremos mais ou menos. E o senhor meu namorado é mais "Faz as malas. Vamos amanhã e esquece o avião, apetece-me conduzir horas e horas seguidas." (e nem sequer estou a exagerar...). Está previsto para breve, talvez Abril (espero eu).

Terceiro (isto de estar a enumerar as coisas faz-me parecer uma seca, mas já que comecei ... seja!) :

Lua-de-Mel em Paris, de Elizabeth Adler. Conhecia a autora apenas de ouvir falar, nunca tinha lido nenhum romance seu, embora muita gente os elogiasse. O mais conhecido será certamente Romance na Toscana, mas eu decidi optar por um menos conhecido e, embora não se deva, julguei o livro pela capa, e esta foi a que me chamou mais a atenção.
Ora, ao contrário da esmagadora maioria da população feminino um pouco por todo o mundo, nunca sonhei ir a Paris, passar lá a lua-de-mel ou sequer um dia que fosse. Não me cativa. O soar da língua francesa irrita-me. Nunca pensei nisso, pronto. E embora o título refira Paris, a verdade é que a história se desenrola muito para além da capital e o que me deslumbrou mesmo foi a descrição da viagem da personagem, que percorreu os mais diversos sítios de França. A história é ligeiramente previsível, mas é uma muito bonita, em parte devido às tais descrições que falei, das zonas por onde passa, das paisagens que fazem a nossa imaginação voar alto. Adorei o livro. Faz-me ter vontade de partir à descoberta da França menos conhecida. 
Recomendo. Lê-se bem. São 47 capítulos mas que passam muito rápido, dá vontade de ler e ler e ler sem parar. 

E embora muito se tenha passado, julgo ter referido aquilo mais importante e prometo não me ausentar muito mais.
Finalizando, nunca desistam de tentar. Não baixem os braços se a pessoa que está ao vosso lado o merece. Todos os dias construímos a nossa própria história, o nosso próprio romance e depende de nós que este acabe com um final feliz.

amo-te melhor namorado do mundo,
Obrigada por estares sempre do meu lado.
Não sei o que faria sem ti, e sabes que nunca te deixarei ♥.